Inter de Milão: O que esperar dos reforços para a temporada 2018/19? Conheça um pouco mais sobre cada um deles.

Arte: Futebol Fanático
A Inter de Milão retornou à Champions League após 5 temporadas longe da principal competição europeia, e foi agressiva ao mercado a ponto de fazer uma das janelas mais interessantes da Europa. Excelentes nomes que fazem o torcedor nerazzurri se encher de expectativas, e com razão. Ao menos em tese, a Inter tem um grupo forte para ser uma das principais ameaças à hegemonia da Juventus no cenário italiano. O retorno à Champions League não será fácil, visto que o grupo que completa também tem Barcelona, Tottenham e PSV. Spalletti terá a missão de ajustar suas peças aos esquemas pretendidos o mais rápido possível para dar o retorno esperado ao torcedor e agora tem ainda mais cartas na manga para surpreender os adversários. 

Vamos conhecer mais sobre cada um dos 7 contratados pelo lado azul de Milão:


Vrsaljko: O lateral-direito croata chega para ser o dono da posição, inicialmente por empréstimo mas com opção de compra. A Inter perdeu o português João Cancelo e, a partir daí, passou a contar apenas com D’Ambrosio que, mesmo tendo grande identidade com o clube, é limitado tecnicamente e isso precisava ser minimizado visando a temporada. 

A opção encontrada foi o ex-Atlético de Madrid, que se junta aos compatriotas Brozović e Perišić. No Atlético de Madrid não era imprescindível, mas foi bem útil em diversas oportunidades, atuando inclusive pela esquerda. Embalado pela Copa do Mundo, foi um dos destaques da posição no Mundial participando efetivamente de jogadas que envolviam o meio-campo e sendo pontual no apoio à Rebić pelo lado direito. 

O novo camisa 2 também é capaz de compor bem sistemas defensivos, dessa forma proporcionando o equilíbrio ideal que se espera de um lateral. Vrsaljko também é capaz de atuar mais avançado como ala em um eventual esquema de 3 zagueiros, e a capacidade de retornar para formar linhas de 5 defendendo parece ao seu alcance. O fato de já ter atuado no futebol italiano também é um ponto que favorece. O jogador atuava do Sassuolo antes de rumar à Espanha e conhece o ambiente, assim não deve ter dificuldades de adaptação. 



De Vrij: O zagueiro holandês foi uma grande oportunidade de mercado. Destaque da Lazio e da Serie A há algum tempo, o novo camisa 6 chegou sem custos aos cofres do clube após não renovar seu contrato com a equipe de Roma. Com 26 anos, é excelente opção para o setor por um bom tempo. Pode ser que inicialmente Spalletti ainda fique com Miranda sendo mais utilizado, mas a tendência é que De Vrij ganhe cada vez mais espaço, até por conta da idade do brasileiro. 

Ao lado de Škriniar e Miranda, também pode complementar um esquema de 3 zagueiros, sendo o líbero, já que possui boa saída de bola, e nessa formação dar mais liberdade aos alas, garantindo cobertura defensiva. O jogador também é forte em bolas aéreas, tanto no ataque quanto para neutralizar as investidas pelo alto dos adversários, fazendo bom uso de seus 1,90m.


Asamoah: O lateral-esquerdo ganês é uma opção sólida para a posição. Estava na Juventus nas últimas 6 temporadas, mas também não era imprescindível, e ao ficar sem contrato, acertou sem custos com os nerazzurri. Asamoah é polivalente, podendo atuar como lateral-esquerdo, ala, meio campo e até ser utilizado como ponta em situações especiais. É experiente e também tem o fator físico à seu favor. 

O brasileiro Dalbert é a outra alternativa para a posição, no entanto ainda oscila bastante e isso faz com que não passe a confiança necessária para uma temporada longa e com ambições por parte da Inter. O fato é que o novo camisa 18 pode até não ser um primor técnico, mas é uma opção confiável e totalmente adaptado à Liga, podendo utilizar isso à seu favor.


Nainggolan: O ninja, como é apelidado, foi a grande contratação para a temporada. Nainggolan vem de bons anos com a camisa da Roma, e chega para ser protagonista no meio-campo. O belga está em uma prateleira alta no futebol mundial, e ao lado de Mauro Icardi são as grandes esperanças da Inter para a temporada. O fato é que Radja Nainggolan é um meio campista repleto de qualidades. Ele é capaz de compor o sistema defensivo com qualidade com marcação e desarme e participar das ações no meio-campo, ajudando nas construções de jogadas com passes, movimentação, imposição física, além da forte chegada ao ataque com finalizações que geralmente levam perigo ao goleiro adversário. 

Mesmo com atitudes polêmicas fora das 4 linhas, não dá pra negar que dentro delas ele corresponde em alto nível. Nainggolan e Brozović são as certezas do setor e Vecino e Gagliardini disputam 1 vaga. Projeta-se que o camisa 14 tenha maior liberdade para investidas ofensivas e já que contará com uma cobertura defensiva maior do que tinha na Roma em algumas oportunidades. Enfim, Nainggolan é um dos protagonistas para a temporada e tem total apoio da torcida.


Politano: O italiano de 25 anos chegou para ser uma peça importante para o plantel da Inter. É um jogador já adaptado às competições italianas e na última temporada pelo Sassuolo marcou 11 gols e contribuiu com 5 assistências em 39 partidas. É preferível que seja utilizado como ponta-direita, assim sendo uma opção melhor vista, ao menos entre os torcedores, do que Candreva, que é um jogador que busca mais a linha de fundo para cruzamentos e não agrada tecnicamente. 

Politano tem uma característica diferente, onde seus principais atributos são velocidade, drible e jogadas de um contra um. Ele também é capaz de criar chances perigosas finalizando ao gol, e isso pode render uma boa combinação com as outras opções ofensivas da equipe.


Baldé: O ponta senegalês é um dos maiores talentos do seu país e busca retomar seu melhor futebol. O novo camisa 11 da Inter tem apenas 23 anos e é visto como um grande potencial. Registrou no futebol francês 8 gols e 11 assistências em 33 jogos. Mesmo esses números não sendo ruins, ele não correspondeu às totais expectativas no Monaco, até porque chegou sendo a principal contratação da equipe. O que acontece é que Keita Baldé retorna à Itália mais maduro, mas ainda precisando se aprimorar em alguns aspetos, incluindo o comportamental. 

Antes do Monaco o atleta chamou atenção atuando pela Lazio. É preferível que atue pela ponta esquerda, mas como a posição já pertence ao croata Perišić, é provável que dispute a vaga diretamente com Politano pela ponta direita, e parece apto para atuar por ali. É um jogador de velocidade e boa potência física, para muitos até acima do italiano, mas a vaga parece em aberto para que os dois travem uma disputa sadia pela titularidade, revezando minutos.


Lautaro: Lautaro Martínez já é querido pela torcida nerazzurri. O atacante é tido como uma das maiores promessas do futebol argentino de sua geração, e com 21 anos dá seu primeiro passo no futebol europeu cercado de expectativas. Foi um dos melhores da pré-temporada da Inter (se não o melhor) e já veste a pesada camisa 10. Pelo Racing, registrou 18 gols e 5 assistências em 27 jogos, uma excelente média em participações diretas para gol, considerando a temporada 2017/18. O atacante tem a pesada “concorrência” do compatriota Icardi, grande expoente da equipe, mas isso não parece um problema, pois mesmo atuando na posição do atual camisa 9, tem flexibilidade o suficiente para exercer uma função mais móvel no ataque e formar uma dupla com grande poder de fogo. 

Esquemas como 4-4-2 e 3-5-2 podem favorecer os dois atuando juntos, mas caberá à Spalletti decidir a melhor forma para extrair o máximo do seu talento. Mesmo que ainda não sendo titular absoluto, a tendência é que seja o reserva com mais minutos e aos poucos ganhe a confiança do treinador para se tornar uma unanimidade. A margem de evolução de Lautaro é grande, e o talento dele deve ser tratado como uma verdadeira joia para o clube italiano, que conta com um jogador um tanto quanto especial.

Finalizando, todas as contratações fazem total sentido. Suprem carências, potencializam setores e tornam o grupo em um todo mais forte para brigar nas competições em que participará. O entrosamento acontecerá ao longo do ano, e é natural que a falta dele pese no início da temporada. Não é absurdo dizer que a Inter é a favorita à beliscar o favoritismo da Juventus, como já citado, já que no papel os nomes são no mínimo interessantes. Um Top-4 parece mais acessível do que na temporada passada, e a tendência é que a equipe termine entre os 4 primeiros sem tanto sufoco como na última. Na Champions, passar da fase de grupos seria sensacional para o torcedor nerazzurri, afinal é o grupo apontado por muitos como o da morte. O futebol é uma caixinha de surpresas, e nem sempre é possível prever resultados, mas tudo indica que o a temporada que já se iniciou dê menos dor de cabeça aos fãs ao longo dela do que a que passou.

Escrito por: Gabriel Vianna

Postar um comentário

0 Comentários