Header Ads

Bolívia abre 3 a 0 no primeiro tempo, e vê Equador reagir no segundo tempo

Equador e Bolívia fizeram um grande jogo pela 2° rodada da Copa América. A partida certamente não era a mais esperada da fase de grupos da competição, mas rendeu um belo espetáculo. 

Com a derrota, o Equador praticamente se despede da Copa América. Já a Bolívia da um grande passo para se classificar para a fase eliminatória.

Bolívia faz 3 a 0 no primeiro tempo

Logo no primeiro lance da partida, Smedberg levantou a torcida com cobrança de falta no canto, defendida pelo goleiro Domínguez. O Equador, por outro lado, entrou irreconhecível, perdido e desatento. A combinação perfeita para o desastre.

Com quatro minutos, em cobrança de escanteio da direita, Ronald Raldés apareceu sozinho na área e nem precisou saltar para cabecear. Mais um erro da seleção equatoriana, que já havia facilitado a vida do Chile entregando bolas na estreia.

O gol desorientou mais ainda o Equador. O segundo gol nasceu em nova falha da equipe, que saiu jogando errado na defesa. Marcelo Moreno recebeu na quina da área e rolou para o meio, para Smedberg, que bateu colocado, no canto, para fazer um belo gol.

Finalmente a seleção equatoriana acordou para a Copa América, mas o placar já marcava 2 a 0 e era preciso arriscar. Com todo o time no ataque, a Bolívia passou a se segurar de qualquer forma e teve no goleiro Quiñonez o jogador mais ativo.

Aos 36 minutos, o árbitro tomou uma decisão que poderia mudar o rumo da partida: achou um pênalti para o Equador. Enner Valencia bateu e marcou, mas o juiz mandou voltar a cobrança. Na segunda, Quiñonez acertou o canto e fez a defesa.

Para completar o primeiro tempo praticamente perfeito para a Bolívia, Erazo levantou o pé no rosto de um adversário na área: pênalti. Marcelo Moreno cobrou forte e fez 3 a 0, encerrando os melhores 45 minutos da história da seleção boliviana no torneio.

O Equador desperta e sonha

Ainda faltava metade do encontro, e o intervalo fez bem para o Equador. No primeiro minuto, Bolaños quase fez um golaço em chute venenoso da quina da área, pela ponta esquerda. Quiñonez voou para fazer a defesa. No lance seguinte, Montero passou pela defesa e rolou para Valencia, livre, diminuir a diferença.

Quiñonez deve ter pressentido que teria trabalho, muito trabalho, e assim foi. Aos 20 minutos, o goleiro teve de socorrer a defesa para sair nos pés de Ibarra. Dois minutos depois, Noboa arrematou da entrada da área e viu o arqueiro se atrapalhar, mas ainda assim fazer a defesa. A Bolívia mal respirava, e sequer conseguia encontrar os contra-ataques...

Os minutos passaram e o Equador já parecia se conformar com a derrota. O ritmo caiu e a Bolívia segurou a vantagem de dois gols até o minuto 36. Foi quando Bolaños acertou um tiro da intermediária, no ângulo: um golaço! Era o que a seleção equatoriana precisava para incendiar mais uma vez a partida.

Três minutos depois, em arremate forte de Montero, a bola estourou no travessão. Não demorou mais dois minutos para Juan Cazares arriscar mais uma para o Equador, e desta vez parando em defesa espetacular de Quiñonez. A pressão continuou até o fim, mas não deu para a seleção equatoriana.

Nenhum comentário