Header Ads

Grêmio tem dívida de R$ 74,3 mi por conta do estádio


O Grêmio começa a sentir o peso de ter sua própria casa: no balanço de 2014, registrou que o clube tem uma divida de R$ 74,3 mi referentes ao estádio. Esse débito é com a Arena Porto Alegrense, empresa pertencente à construtora OAS, e tem como origem encargos do financiamento bancário para construção e gastos da pré-operação da arena.

Explica-se: a agremiação gaúcha fechou um contrato com a empreiteira que construiu o estádio em troca de imóveis. Pelo acordo, a grosso modo, há uma divisão de ganhos e custos entre Grêmio e OAS de acordo com o lucro ou prejuízo da arena. E o clube participa da quitação de financiamento para realizar o projeto.

A Arena Grêmio está dando prejuízo. Isso significa, de início, que o clube não está ganhando a parcela fixa a que teria direito, R$ 8 milhões/ano, todas as rendas são retidas, e o clube tem que pagar parte do buraco. Fora isso, há o custo do financiamento que se acumula.
Do final de 2013 para 2014, o valor do débito gremista subiu cerca de R$ 63 milhões, pois era de R$ 11 milhões em 2013. Com isso, a Arena Porta-Alegrense já é o segundo maior credor do Grêmio. A dívida líquida está em R$ 383 milhões, segundo levantamento do blog “Balanço da Bola''. O maior débito é com o governo federal.
“Em 31 de dezembro de 2014, a expectativa é de que a liquidação da dívida 2013 possa ser quitada com as parcelas a receber do preço fixo'', afirma o balanço gremista. Essas parcelas só devem ser pagas ao Grêmio mesmo a partir de 2021, já que o estádio está dando prejuízo no momento. O débito, então, seria quitado até 2028.
Só que no meio do caminho há uma negociação da diretoria do Grêmio para tentar comprar em definitivo o estádio da OAS. Para isso, foi feita uma proposta de cerca de R$ 400 milhões a serem pagos em 20 anos. Se esse negócio for fechado, toda a dívida atual registrada será incluída na transação.
As conversas, no entanto, travaram e a OAS enfrenta dificuldades financeiras para pagar financiamentos por conta de ter se envolvido na operação Lava-Jato – entrou em recuperação judicial. A diretoria do Grêmio não quis comentar o balanço do clube até que ele seja publicado oficialmente, embora já tenha sido aprovado pelo Conselho Deliberativo.





Nenhum comentário